A Associação Desportiva Confiança vem a público manifestar sua defesa e indignação ante às acusações inverídicas realizadas na mídia pelo senhor Moisés Campos Cardoso, ex-auxiliar de preparador de goleiros do Clube.

As falas irresponsáveis do ex-contratado nos últimos dias foram uma tentativa descabida para denegrir a imagem desta instituição.

O “profissional” foi desligado por justa causa, após ameaças a um funcionário do clube. Neste ponto, vale ressaltar que houve reincidência na conduta, já que no ano de 2019 e 2020 recebemos reclamações formais sobre seu comportamento, mas a Diretoria, mais uma vez, resolveu dar-lhe oportunidade e o manteve em sua função.

Após seu desligamento, neste ano de 2021, houve tentativa de acordo por parte do Confiança junto ao senhor Moisés. Em um primeiro momento, foi aceita a proposta apresentada, porém em seguida, o mesmo não desejou fazer nenhuma contraproposta para o clube e nem aceitar a proposta oferecida.

Sobre as demais acusações feitas, o Clube esclarece que grande parte do quadro de contratados são por regime de CNPJ e não com carteira assinada, diferente do que o preparador de goleiros sinalizou. Esta modalidade de contratação é amplamente adotada pelos clubes de futebol e grandes empresas, garantindo aos contratantes realizarem o acordo que melhor se adequem às partes, não tendo a CLT como norteador.

Já sobre o problema de saúde do filho do Sr. Moisés, tão logo a Diretoria tomou conhecimento do caso a época, se dispôs ajudá-los e assim o fez.

Sempre tivemos a preocupação e cuidado com o crescimento dos nossos contratados, que por vezes recebem oportunidades em departamentos do próprio Clube ou propostas de grandes agremiações pelo país, reconhecimentos remuneratórios, participação em cursos de especialização em suas áreas (internos ou externos). Assim sempre foi feito com o senhor Moisés, que chegou ao clube na gestão passada e foi alçado ao time principal na gestão do Presidente Hyago, como preparador de goleiros.

O Clube reforça que o acordo, como não foi aceito, está sob responsabilidade do setor jurídico. O que a Justiça acatar, será cumprido o que for justo e de direito ao senhor Moisés, assim como acontece em todas as situações deste tipo.

O clube exige que se respeite a história da instituição e a sua imagem. Acusações levianas como essas só trazem prejuízo, mancham a tradição de um clube que veio do proletariado. E iremos as vias legais para que o Sr. Moisés arque com suas palavras contra a Associação Desportiva Confiança.

Salientamos que estamos sempre à disposição para explicar quaisquer informações que não sejam verdadeiras e que em casos como esses devemos ser ouvidos, prezando pela integridade pela qual lutamos e construímos todos os dias. Assim como estamos a disposição para fazer acordos com funcionários e atletas.